Gilmar Rotta será presidente entre 2019 e 2020 na Câmara de Piracicaba

Gilmar Rotta será presidente entre 2019 e 2020 na Câmara de Piracicaba

O vereador Gilmar Rotta (MDB) assumirá a Presidência da Câmara Municipal de Piracicaba (SP) em 1º de janeiro de 2019 após ser eleito por um voto de diferença em 15 de dezembro.

Em entrevista ao G1, o parlamentar afirma que pretende dar mais condições para que os vereadores atuem nos bairros e em horários alternativos. Segundo ele, isso vai ampliar a participação popular no Legislativo municipal.

A gestão é bianual e o regimento interno prevê possibilidade de reeleição. Rotta substituirá Matheus Erler (PTB), que presidiu a câmara por quatro anos. O presidente eleito elogia a gestão de Erler principalmente na contenção de gastos, o que permitiu a devolução de valores para a prefeitura.

“Esse dinheiro foi utilizado em melhorias para a cidade, seja na educação, no meio ambiente, obras, na saúde principalmente, então a câmara tem participado muito de gestão do Executivo”, afirma. Rotta também diz que pretende “dar continuidade a esse trabalho”.

Em 2018, o valor devolvido ao Executivo é de R$ 4,7 milhões o que, segundo Rotta, ajudou no pagamento do 13º salário dos servidores.

No entanto, o novo presidente afirma que a contenção restringiu o trabalho dos vereadores e propõe, para 2019, ampliar as condições para que os parlamentares usem as estruturas da Câmara Municipal durante o ano.

Isso, segundo ele, deve ampliar a participação popular no Legislativo, mas causará aumento no gasto da câmara. Rotta garante, no entanto, que será “coisa bem mínima”.

“A gestão de Erler Foi marcada por contenção de gastos muito grande, o que acabou ‘prejudicando’ entre aspas, esse trabalho do vereador”, disse. Segundo ele, a proposta é dar condição para que os vereadores visitem bairros com mais frequência para dialogar com a população.

Apoio à prefeitura

Rotta também diz que vai atuar em conjunto com a prefeitura para “o melhor de Piracicaba”. Segundo ele, a gestão de Barjas Negri (PSDB) não tem feito tudo o que a população gostaria por falta de verba. Por isso, destaca a importância da câmara na obtenção de verba federal e estadual por meio do contato com deputados.

Porém, Rotta espera mais dificuldade porque Piracicaba não elegeu, neste ano, um deputado federal. Ele acredita que os 23 vereadores devem buscar verba para a cidade por meio dos deputados eleitos nos partidos.

O discurso de Rotta é de atuação em conjunto com a prefeitura, mas ele promete que a função do vereador de fiscalização será realizada. “A parceria com o Executivo é pelo bem da população piracicabana”.

Câmara unida?

Gilmar Rotta foi eleito ao vencer por 12 votos a 11 o vereador Paulo Serra (PPS). Toda a chapa encabeçada por ele também conseguiu preencher as demais cadeiras pela diferença mínima de votos.

A eleição representou a força que a chapa derrotada construiu no processo eleitoral, o que, na visão de Rotta, não representará uma desunião dos vereadores.

Para explicar, o parlamentar lembra que saiu derrotado, em janeiro de 2017, quando disputou com Erler a presidência. Ele disse que “saiu chateado”, mas que voltou do recesso sem que isso fosse um problema. Rotta garante que a gestão será democrática e levará em consideração reivindicações de todos os vereadores.

Fonte: G1 – Foto: Fabrice Desmonts

Share This: